sexta-feira, dezembro 31, 2004

Réveillon, o despertar de uma nova era


Não, não vou falar de religião, nem de misticismo. Vou apenas desejar a todos mais uma vez um feliz ano novo. Mais um, apesar de todas as profecias que previram o fim do mundo. Quando garoto, sempre ouvia de meus pais que havia uma profecia atestando que o mundo "de 1000 passou, mas de 2000 não passará". Conforme se vê em páginas da Internet, a religiosa francesa Jeanne de la Royer, que viveu no século XVIII, disse que o "fim dos tempos" chegará antes do ano 2000. Suas palavras foram "o ano 2000 não chegará sem que chegue o fim dos tempos, como vi na luz divina." E segundo o famoso Nostradamus, "no ano de 1999 e sete meses, do céu virá o grande rei do terror; ele fará reviver o grande conquistador de Angoulmois, antes e depois, a guerra reinará com felicidade". Bom, eu também vou arriscar umas profecias: haverá guerras, mudanças climáticas, terremotos, tsunamis, dilúvios, colisão da Terra com cometas e asteróides, o Sol vai esfriar...mas, é possível que quando o pior de tudo isso acontecer nós já estaremos viajando em busca de estranhos novos mundos e civilizações, audaciosamente indo aonde o homem jamais esteve antes. E enquanto isso não acontece, feliz 2005!



domingo, dezembro 26, 2004

Os Sonhadores


Fui ver Os Sonhadores do italiano francófilo Bernardo Bertolucci, que mistura cinema, política, música, jazz, rock n' roll, sexo, filosofia. Se você for conservador, não veja. Se tiver nojo de fluídos corporais, também não veja. É um filme polêmico, como foi Último Tango em Paris, porque tem nudez, uso de drogas e sexualidade. E novamente o Bertolucci toca na questão do incesto, como fez em La Luna, em 1979. Bem, para encurtar a história, conheça ou não, goste ou não, não dá para falar de cinema de verdade (não aquele lixo que Hollywood faz - mas não sempre) sem falar de Bertolucci. É isso.

sexta-feira, dezembro 24, 2004

Então é Natal!


O que significa o Natal para você? Se você quer saber, para mim não significa muito mais do que uma lembrança boa dos tempos em que o Natal era o dia em que eu acordava e aos meus pés, no berço, estavam aqueles carrinhos de plástico que eu ganhava de meus pais, digo, do Papai Noel. O clima ficou ruim quando uma vez os descobri, bisbilhotando em cima do guarda-roupa. O Natal ainda não tinha chegado, mas lá estavam os carrinhos escondidos! Levei uma surra. E o encanto do Natal e do Papai Noel se acabou. Nada restou. Porque não tínhamos o hábito de montar árvores de natal, com aquelas bolinhas coloridas e brilhantes, com aquele algodão imitando a neve que nunca tivemos em São Paulo. Também não tínhamos o hábito de comer aquelas especiarias cheias de calorias comuns no hemisfério norte. E nem de colocar aquelas guirlandas na porta, que aliás também significa grinalda e vem do francês guirlande e do inglês garland. E nem trocávamos presentes, exceto que as crianças ganhavam uns presentinhos "do Papai Noel", pelo menos até aquela vez. Por falar no bom velhinho, você sabia que o Papai Noel tal como o conhecemos hoje é uma criação publicitária realizada em 1931 pela Coca Cola? É verdade, judeus nova-iorquinos adaptaram tradições holandesas baseadas em Sinter Klaas (Santa Claus, em inglês, cuja origem é São Nicolau de Myra, um bispo turco nascido no ano 280). Bom, afora o colonialismo cultural a que sempre fomos submetidos, acho o Natal uma época interessante porque a gente lembra um do outro, não propriamente para dar e receber presentes, mas só por lembrar e desejar um ao outro um feliz dia e um ano vindouro melhor. Então, feliz Natal!

P.S.: é claro que tem gente que também lembra que Natal significa o aniversário de um certo Jesus, de Nazaré, de Belém...e daí o espírito natalino.

domingo, dezembro 19, 2004

O Santos é o novo campeão!


Agora o meu time é bicampeão - primeiro no mata-mata e agora nos pontos corridos. O Santos é o campeão absoluto desse ano. Maior número de rodadas à frente (20) e com recorde de gols - 103! Por causa disso hoje eu estou feliz que nem pinto no lixo. ;-)

E aí vale cantar:

Santos, Santos, Goooool
Agora quem dá bola é o Santos,
O Santos é o novo Campeão,
Glorioso alvi-negro praiano,
Campeão absoluto desse ano
Santos, Santos, sempre Santos,
Dentro ou fora do Alçapão,
Jogue onde jogar,
És o leão do mar,
Salve o nosso campeão.



Em tempo: ontem comi pizza com os seguintes amigos da Ideal, da Oxford e da Renner DuPont: Cândido, Cláudio, Elaine, Élcio, Intini, Muro, Ricardo, Selma e Zé. Outra hora coloco aqui uma das fotos que o Zé tirou, mas antes vou ter que formatá-la para o padrão Internet.

domingo, novembro 28, 2004

Herberts


Ontem almocei com alguns amigos da Herberts no restaurante do Geraldo (que não é mais do Geraldo) em Caieiras. Este já é o sexto almoço, mas talvez só uma ou duas pessoas tenham ido a todos. Este ano foram o Anderson, o André, o Andreas, a Carla, o Celso, o Jorge, o Luís, a Sonia e a Vera. Esse encontro me proporciona dois tipos antagônicos de sentimentos. Por um lado, alegria por rever pessoas com quem convivi em uma época que deixou saudades. Foi o nascimento da empresa no Brasil. Significou esperança. E uma espécie de renascimento para muitos profissionais. Por outro lado, esse encontro traz uma certa melancolia. Isto porque a venda da empresa e o fechamento da planta de Caieiras e de outras no exterior pode ser considerada uma verdadeira tragédia para a gente. De qualquer forma, valeu a pena rever o pessoal. Pena que muitos tenham faltado. Espero que no ano que vem a gente se veja novamente. E assim que receber as fotos, coloco pelo menos uma aqui, prometo.
Almoço com amigos da Herberts
Esta foto foi a Vera que me enviou hoje, 01/12/2004. As outras, que tal se colocássemos em um site exclusivo para o pessoal da Herberts?

terça-feira, novembro 23, 2004

Kill Bill


Estava querendo escrever algo sobre Kill Bill já há algum tempo, mas ando sem inspiração, apesar de ter achado genial esse filme do Quentin Tarantino (você viu Pulp Fiction?), com uma excelente atuação da Uma Thurman. Então recomendo ler a crítica (em português) do volume 1 e do volume 2 do site Terra - Cinema & DVD (clique nos links). O vol. 1 você encontra nas locadoras, e o vol. 2 está em algumas salas em São Paulo. Não perca!

domingo, novembro 14, 2004

Milton Nascimento


O Bituca, carioca da Tijuca, recém-nascido foi adotado e levado para Trespa (Três Pontas, MG), onde ganhou um violão aos quinze anos e formou o conjunto Luar de Prata (com Wagner Tiso, Toninho Brito, Teresa e Guido). Depois de algum tempo, o conjunto virou W's Boys e todo mundo teve que adotar o w como primeira letra do nome. O Mílton virou Willer e até o empresário entrou na dança - virou Wonifácio! Os outros eram Wagner, Wanderley, Wayne e Waltro (ex-Daltro). Em 1963 o Bituca foi para Belo Horizonte com o Wagner Tiso e conheceu o Fernando Brandt, o Márcio e o Lô Borges. Aí o nome do conjunto era Evolussamba. Depois, Sambacana. A essa altura já tinha gravado discos em São Paulo e Rio, como crooner e contrabaixista. Em 1965, ganhou o Berimbau de Bronze no I Festival de Música Popular da TV Excelsior. Em 1966 a Elis gravou a "Canção do Sal". Em 1967, o Bituca ganhou o prêmio de melhor intérprete do II Festival Internacional da Canção, cantando "Travessia", "Morro Velho" e "Maria, minha fé". Em 1968, gravou e se apresentou nos Estados Unidos e México. Em 1971 gravou o álbum "Clube da Esquina" e em 1973 o "Milagre dos Peixes". Em 1974 seu concerto ao ar livre na USP reuniu mais de dez mil pessoas. Em outubro de 1975, com Wagner Tiso, Beto Guedes, Novelli, Toninho Horta, Nivaldo Ornelas, Paulinho Braga, Chico Batera, Tavinho Moura, Fernando Leporace, Nelson Ângelo e outros, lançou o LP "Minas", incluindo composições dele com Ronaldo Bastos, Fernando Brandt e Caetano Veloso ("Paula e Bebeto"). Esse disco só fui conhecer no ano seguinte, ouvindo uma fita K7 que o Airton levou lá para nossa república em meu tempo de Unicamp. "Beijo Partido", "Saudade dos Aviões da Panair" e "Ponta de Areia" me converteram definitivamente ao "miltonnascimentismo" - está explicado.

domingo, novembro 07, 2004

São Lourenço


No último feriado estive em São Lourenço (300 km de São Paulo), no Circuito das Águas do sul de Minas. Sua atração principal é o Parque das Águas, que está muito bem conservado, e onde vale a pena passear e provar as águas de 6 fontes naturais, entre elas a água Vichy, que só existe lá e na França. Aliás, salvo engano, a companhia que administra o parque é do grupo francês Perrier. É um lugar ideal para se descansar, bem diferente de Brotas, onde a tônica são os esportes radicais. Se houver tempo, vale uma visita às outras cidades do circuito (Caxambu, Lambari, Cambuquira) e até dar uma esticada a São Tomé das Letras.


Pensamento do dia: quando apresentar opções para uma pessoa escolher, certifique-se que seja válida qualquer escolha que a pessoa faça. Senão, não estará dando escolhas à pessoa, mas sim tentando manipulá-la.

quinta-feira, outubro 28, 2004

História do Brasil


Outro dia estive em Santo Ângelo, a "Capital das Missões", no Rio Grande do Sul, e por acaso conheci o Memorial Coluna Prestes, que fica onde era a antiga estação de trem da cidade. Foi uma lição de História. Ali, há 80 anos, iniciou-se o movimento revolucionário que percorreu 25 mil quilômetros Brasil adentro em 2 anos e 3 meses sem nenhuma derrota, conhecido por Coluna Prestes. Seu líder foi o portoalegrense Luiz Carlos Prestes que militou por 46 anos no "Partidão" (o PCB, hoje PPS), e que foi marido da Olga Gutmann Benário, cuja vida é retratada na obra escrita pelo Fernando Moraes, "Olga".


Outro assunto: quem gosta de filmes românticos vai gostar de "Alguém tem que Ceder", da Nancy Meyers, com a Diane Keaton e o Jack Nickolson.

domingo, outubro 24, 2004

AB-words


Coloquei uma página nova em meu site contendo um glossário de palavras em Inglês que se iniciam com AB, tais como abandon, abbot, abide, abroad etc, que representam cerca de 1% de um vocabulário básico. O interessante neste grupo é que cerca de 70% vêm do Latim, na maioria das vezes através do Francês antigo. Favor contribuir comentando se deixei palavras importantes de fora ou se coloquei palavras pouco usadas, por exemplo. Enjoy! (aliás esta palavra também vem do Latim através do Francês, passando também ao Português através do Espanhol, significando gaúdio, gozo). ;-)

domingo, outubro 17, 2004

Te recuerdo Victor


Te recuerdo Amanda,
la calle mojada,
corriendo a la fábrica
donde trabajaba Manuel.
La sonrisa ancha, la lluvia en el pelo,
no importaba nada, ibas a encontrarte con él,
con él, con él, con él, con él.

Son cinco minutos.
La vida es eterna en cinco minutos.
Suena la sirena de vuelta al trabajo,
y tú caminando, lo iluminas todo.
Los cinco minutos te hacen florecer.

La sonrisa ancha, la lluvia en el pelo,
no importaba nada, ibas a encontrarte con él,
con él, con él, con él, con él.

Que partió a la sierra.
Que nunca hizo daño. Que partió a la sierra,
y en cinco minutus quedó destrozado.
Suena la sirena, de vuelta al trabajo.
Muchos no volvieron, tampoco Manuel.


"Te recuerdo Amada" é uma das muitas belas canções de Victor Jara, compositor e cantor chileno, que foi morto em Santiago, no Estádio Nacional, em 16 de setembro de 1973, com as mãos decepadas por um oficial do exército chileno, que disse: "Ah, você é o guitarrista famoso? Então, agora canta!"

terça-feira, outubro 12, 2004

Brotas, quem diria?


Sábado passado fui para Brotas (260 km de São Paulo) pensando apenas em ver parques, cachoeiras, piscinas naturais, fazer passeios tranqüilos, ecoturismo. Que nada! Apesar de já ter dito que dessa água não beberia, acabei experimentando os esportes de aventura. Quem diria? A cada vez que marcava uma atividade, era uma apreensão só até a hora H. Aí, medo. Depois e durante, adrenalina. Assim foi com o arborismo, a tirolesa, o rafting e até o cascading ou canyoning (descida de cachoeira com técnica de rappel)! Também valeu a pena ver a "areia que canta" e o planetário. Fica registrada aqui essa dica para um feriado prolongado.
Image Hosted by ImageShack.us
Pra falar a verdade, estava pensando em não fazer o cascading, por medo. Mas aí achei melhor ouvir as instruções do guia antes de tomar a decisão. Fiquei convencido que é seguro e escolhi fazer. Escolhi desafiar o medo. E me senti bem quando consegui. Mas não quis provar nada, nem a mim mesmo, nem a ninguém. Se tivesse escolhido não fazer o cascading, acho que tudo estaria bem também. Não foi uma grande questão. Cheguei a pensar que o tinha feito para aumentar minha auto-estima. Pode ser. Nesse caso, porque estaria precisando? Será que se tivesse desistido, estaria com a auto-estima mais baixa? Não sei. Acho que não, ou prefiro achar que não. Provavelmente teria colocado um ponto final no assunto, e esquecido. Se fosse assim, ótimo. O importante teria sido fazer a escolha, qualquer que fosse ela. E com maturidade, para não ficar arrependido depois, caso tivesse optado pela desistência.
Image Hosted by ImageShack.us

domingo, setembro 19, 2004

Fojo e Parcimônia


Outro dia me perguntaram o significado de parcimônia. Achei que fosse "cuidado", mas não disse porque não tinha certeza. Um colega arriscou "ponderação". Ambos estavam errados. Segundo o Aurélio parcimônia vem do latim parcimonia (de parcu, parco) e significa ato ou costume de economizar, poupar, ou economia, poupança, moderação nos gastos e na alimentação. O interessante é que é uma palavra que devo ter lido algumas vezes. Talvez tenha ouvido, não sei. Mas não fixei seu significado. É uma palavra pouco usada, senão em desuso, pelo menos em São Paulo, nas últimas décadas. E assim há muitas palavras em muitos idiomas. As línguas são muito dinâmicas, estão constantemente se modificando. Palavras nascem e morrem, ou têm seu significado completamente modificado e até mesmo invertido. Uma vez achei que aprenderia melhor um idioma conhecendo sua base - as palavras. Até aqui, raciocínio correto. E para conhecer as palavras, nada melhor que um glossário, um vocabulário. Mas aí começam os problemas. Vocabulário de qual região e de qual época? Uma vez, para mostrar sapiência, disse uma certa palavra a um professor de alemão, e ele, para minha surpresa, disse-me que nunca tinha ouvido tal palavra. Mas eu a tinha visto em um dicionário de alemão! Seria o mesmo que um americano me perguntasse o que é fojo. Você sabe o que é? Eu não sei. Mas está no Aurélio. Seremos nós menos fluentes em português (do Brasil) porque não conhecemos esta palavra?

domingo, setembro 12, 2004

Até onde um sonho pode te levar?


O Caminho das Nuvens deixa a gente "na mão" no final, mas é um road movie inesquecível, principalmente a cena da Cláudia Abreu cantando "Como é grande o meu amor por você", do Roberto e do Erasmo Carlos.

terça-feira, setembro 07, 2004

Pelo justo, pelo bom e pelo melhor do mundo


Fui ver "Olga", do Jayme Monjardim, baseado no livro do Fernando Morais (Companhia das Letras, 1984, 1993, 1994). O filme enfoca a vida pessoal de Olga Benario. Os críticos aparentemente prefeririam que enfocasse mais os aspectos históricos e políticos, e alguns deles o consideram mais TV do que cinema por usar e abusar de closes e de música para reforçar as emoções. De qualquer modo, acho que vale a pena vê-lo. É o cinema nacional revitalizado. E tenho a impressão de que deverá ter uma boa aceitação em Hollywood, caso seja indicado a Oscar de melhor filme estrangeiro.


Em tempo, só para constar: não estava fazendo nada mesmo, então fui à Festa das Flores e Morangos de Atibaia.

domingo, agosto 29, 2004

Orkut: você já entrou ou já saiu?


Conforme a Folha de S.Paulo a lentidão faz o brasileiro, que tem sido maioria, abandonar a rede digital de relacionamentos Orkut. As alternativas são:

Multiply

Friendster

FriendSurfer

FunChain

NetQI (em português)

1Grau (em português)

BigCampus

LinkedIn

Soflow

Acabei de chegar de Holambra, que fica a uns 150 km de São Paulo. Fui à Expoflora, feira de flores e plantas ornamentais, num ambiente bem holandês graças à arquitetura com seus moinhos de vento, à culinária, ao trajes típicos incluindo os tamanquinhos, à música e às danças folclóricas. Gostei também do show de marionetes, que é bastante divertido, não só para a criançada. E lá estava o Osmar Santos, o Pai da Matéria, mostrando seus quadros impressionistas e autografando o livro "Osmar Santos - O Milagre da Vida" (Editora Sapienza), do Paulo Mattiussi.

Image Hosted by ImageShack.us

domingo, agosto 08, 2004

Curiosidades das línguas


Olha como as palavras iniciadas em "CL", "FL" e "PL" do latim chegaram ao espanhol ("LL") e ao português ("CH"):

Latim Francês Espanhol Português

plaga plaie llaga chaga, úlcera
flamma flamme llama chama
clamare clamer llamar chamar, clamar
plantare planter plantar chantar* (plantar)
pleurs llanto chanto* (pranto)
planu, plattu plat, plain llano chão, plano, chato
clavem clef, clé llave chave
plicare llegar chegar
plenus plein lleno cheio, pleno
flagrare flairer cheirar, farejar
plorare pleurer llorar chorar
plovere pleuvoir llover chover
plumaciu chumaço
plumbu plomb plomo chumbo
pluvia pluie lluvia chuva

* arcaico
Parte do material acima encontrei no livro "A Aventura das Línguas no Ocidente", da Henriette Walter, 2a. edição, Editora Mandarim.

sábado, agosto 07, 2004

de paz e de pássaros


A pomba é o passarinho da paz.
A mulher é a paz do passarinho.
O homem busca a paz para seu passarinho.
O solteiro não deixa seu passarinho em paz.
A solteira conhece o passarinho mas não a paz.
A divorciada perdeu a paz e o passarinho.
A viúva lembra do passarinho e não vive em paz.
O viúvo perdeu a paz do passarinho.
A casada tem assegurado o passarinho e a paz.
O casado tem paz para o passarinho.
O velho tem o passarinho em paz.
A velha deveria estar em paz mas está pensando no passarinho.
A bicha quer a paz pela frente e o passarinho por trás.

domingo, julho 25, 2004

Sobre meninos e lobos


O Clint Eastwood (a exemplo do Woody Allen) está como as boas bebidas: melhora com o passar do tempo. Não deixe de ver "Sobre Meninos e Lobos" (Mystic River), em que ele não atua - só dirige. Mas tem Sean Penn e Tim Robbins em excelentes atuações. Esse é mais um filme de autor que vai ficar na história.

domingo, julho 18, 2004

Encontros e Despedidas


Mande notícias do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço
Venha me apertar
Tô chegando
Coisa que gosto
É poder partir
Sem ter plano
Melhor ainda
É poder voltar
Quando quero
Todos os dias
É um vai e vem
A vida se repete
Na estação
Tem gente que chega
Pra ficar
Tem gente que vai
Pra nunca mais
Tem gente que vem
E quer voltar
Tem gente que vai
E quer ficar
Tem gente que veio
Só olhar
Tem gente a sorrir
E a chorar
E assim chegar
E partir
São só dois lados da mesma viagem
O trem que chega
É o mesmo trem da partida
A hora do encontro
É também despedida
A plataforma desta estação
É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida

Você já ouviu esse poema do Milton Nascimento e do Fernando Brandt cantado pela Maria Rita Mariano, filha da Elis? Não? Então procure ouvir, não espere mais. Vai te fazer bem. ;-)

domingo, julho 11, 2004

9 de Julho


Aproveitando o feriado de 9 de Julho fui passear no Vale do Paraíba. Almocei em São Luís do Paraitinga. E mantendo o espírito da ocasião, escolhi virado à paulista. Depois fui a Cunha, outra cidade histórica. É a estação do festival de inverno e da festa do divino espírito santo na região. Mas o que valeu a pena mesmo foi ver a Pedra da Macela, que fica a 1800 metros de altitude e de onde se pode ver a baía e a cidade de Parati. Aliás, escreve-se Paraty, aonde fui no quarto e penúltimo dia da FLIP, festa literária - o Chico Buarque estava lá. Depois de enfrentar o trecho precário de uns 10 quilômetros, em terra, na serra entre Cunha e Paraty, fui direto para o Restaurante do Hiltinho. Por que será que estou enfatizando almoços e restaurantes? Já sei, são quase duas da tarde e estou com fome. Dá licença que vou almoçar, por falar nisso. Você ainda não foi a Paraty? Então vá.

segunda-feira, junho 28, 2004

A tirania da escolha


Bem interessante a matéria da edição nacional da Scientific American de maio. Conforme Barry Schwartz, é razoável pensar que um leque maior de opções seria conveniente e agradaria as pessoas, mas o excesso de possibilidades muitas vezes contribui para a infelicidade delas. E aconselha: 1)Escolha o momento de escolher; 2)Aprenda a aceitar o "suficientemente bom"; 3)Não se preocupe com o que você está perdendo; 4)Controle as expectativas. Para conhecer mais sobre o tema, leia a revista ou um de seus livros: "Maximizing versus Satisficing: Happiness is a Matter of Choice" e "The Paradox of Choice: Why More is Less".

segunda-feira, junho 21, 2004

Encontros e despedidas


Achei que este título ficaria melhor do que "nascimento e morte", que é o tema desse meu post.
Hoje é aniversário do nascimento de Machado de Assis, carioca nascido em 1839 que se tornou nosso maior escritor. Desce cedo aprendi a gostar do jeito que ele escreveu, das sentenças curtas e a excelente pontuação. Recentemente reli "Dom Casmurro" e "A mão e a luva". Agora vou reler "Memórias Póstumas de Brás Cubas". Digo que vou reler porque li vários dele nos tempos de colégio.
Hoje morreu o presidente nacional do PDT Leonel Brizola, governador do Rio de Janeiro duas vezes e do Rio Grande do Sul (antes do golpe militar), figura polêmica da oposição e quadro ligado a "A Internacional Socialista", que inclui entre muitos partidos o PSOE da Espanha de Zapatero.

segunda-feira, junho 14, 2004

Jantar dos Tinteiros


É nessa próxima sexta, 18 de junho, a partir das 19 horas, o jantar anual dos químicos de tintas, pessoal. E, como de costume, será no Restaurante Florestal, av. Maria Servidei Demarchi, em frente à BASF (Glasurit), pagamento de R$ 35,00 na entrada. Neste ano, dois colegas muito conhecidos não comparecerão. Mas tenho certeza que estarão presentes nas lembranças de muitos de nós. Valeu, Ricardo e Edson.

Ainda uma palavra sobre filmes e diretores


Alguém poderá não gostar de um ou até mesmo de todos os filmes do Woody Allen, por exemplo. O que isto quer dizer? Não muito, para mim. Pode haver muitas causas. A cultura dessa pessoa é uma possibilidade. Sem ofensa, não se trata de preconceito. Mas o fato de alguém gostar ou não é uma coisa; a obra artística ter qualidade ou não é outra coisa. É comum a gente ver um filme, gostar, e dizer então que o tal filme é bom. De certa forma, o filme foi bom, para quem viu. Mas quando se trata de qualidade propriamente dizendo, um filme pode ser bom e assim mesmo não agradar. Se o expectador não conhece ou não valoriza aquele padrão de qualidade, ou se este padrão de qualidade opõe-se a seus valores políticos, filosóficos ou religiosos, é claro que este expectador não vai gostar desse filme. E isto não significa que o filme seja ruim ou não tenha qualidade.
Outro dia citei alguns diretores, mas depois vi que deixei de citar os maiores segundo a crítica especializada (por exemplo, o FilmSite), além dos já mencionados Kubrick, Capra e Coppola: Alfred Hitchcock, John Ford, Howard Hawks, Michael Curtiz, Willian Wyler, John Huston, Orson Welles, Billy Wilder, D.W. Griffith, Charlie Chaplin e Steven Spielberg. Admito que muita gente pode até não gostar, mas esses diretores são geniais. Aliás, gostar ou não é muito relativo. Quantas pessoas já me disseram que não gostavam de teatro? Muitas. E, por incrível que pareça, quando lhes perguntei se tinham visto muitas peças ruins, simplesmente me afirmaram que não, que nunca tinham ido ao teatro. Ah, aí entendi porque elas não gostavam de teatro. Simplesmente porque nunca tinham ido a um. O mesmo se aplica a cinema de autor, a pintura, a escultura...etc. Nem vou citar o que já ouvi sobre "nu artístico". Como escreve o Pasquale: é isso.

Sociedade Planetária


Hoje ganhei um antigo exemplar do "The Planetary Report", publicação da The Planetary Society, uma boa surpresa. Para quem gosta ou já gostou algum dia de Astronomia e Astronáutica, vale a pena dar uma espiada no site dessa organização, que já teve Carl Sagan como diretor presidente.

domingo, junho 06, 2004

Dirigindo no Escuro


Dica da vez: Woody Allen dirige e interpreta o genial cineasta que filma às cegas em "Tell us your favorite Hollywood Ending!".
Acho que comentei que recentemente vi a Maldição do Escorpião de Jade, não? Nada como o cinema de autor - isso se confirma a cada filme que vejo. Dele, Woody Allen, do Clint Eastwood, do Robert Altman, do Tim Burton, do Frank Kapra, do Francis Ford Coppola, dos irmãos (Joel e Ethan) Coen, do Stanley Kubrick, do Brian de Palma, do Alan Parker, do Martin Scorcese, só para citar alguns americanos.

domingo, maio 23, 2004

A Semente da Vitória


Estou lendo o livro do Nuno Cobra, com esse belo título. Após ler 60% dele, acho que posso resumí-lo assim: o método Nuno Cobra trabalha o físico, o mental, o espiritual e o emocional, enfatizando a saúde, o sono, a alimentação e o movimento. É um livro sobre uma transformação necessária para a conquista da saúde nessa vida sedentária comum à maioria de nós.
Dica cultural, meio atrasada: "A Nova Onda do Imperador" (Emperor's New Groove). ;-)
Como se pode perceber, agora é possível fazer comentários a meus posts nos links Comments abaixo, graças a um site estrangeiro, o Enetation, já que o site nacional para comentários agora é pago. :-(

segunda-feira, maio 10, 2004

Ainda sobre livros, você já queimou algum hoje?


Em Berlim há 71 anos , em 10 de maio de 1933, os nazistas queimaram em uma praça pública cerca de 20.000 livros. Veja mais detalhes na biblioteca da universidade do Arizona. Quem lembra de Fahrenheit 451?

domingo, abril 25, 2004

o Pasquim


Sexta revi uns amigos "tinteiros" no Bar do Juarez. Ontem vi o Oscar de melhor filme estrangeiro de 2003, Lugar Nenhum na Africa. Hoje é que fui ler o exemplar d'o Pasquim que ganhei na Feira Bienal do Livro, que comemora os 40 anos do golpe, e que agora se chama "o Pasquim 21" e sai todo sábado nas bancas. Mas por quê "21"? Deve ser menção aos 21 anos da ditadura e, por falar na dita cuja, eis alguns links para quem quer saber mais a respeito, graças à Folha de S.Paulo:
40 anos
Comício das Reformas
Anistia
Diretas
Tortura
Tem mais. Mas vamos deixar para depois. Senão, perde-se a fome.

domingo, abril 18, 2004

Programa de domingo


1) Ir à Feira do Livro pela manhã. Não se assuste, mas a fila de carros já começa no início da Imigrantes. Não vi como estava a entrada pela Miguel Stefano. Pensei que ia demorar para entrar, mas até que a fila andou rápido e havia bastante vaga no estacionamento (R$ 12,00). Depois, não houve espera para ingressar (mais R$ 8,00). Impressões que ficaram: 1) o paulista não vive sem carro. 2) o paulista está lendo pouco - acho que a feira poderia ser bem maior, levando-se em conta que esta é a 18a. e já tem 34 anos.

2) Ver o São Caetano ser campeão paulista, pela TV. É o meu segundo time. Mereceu. Mas não gostei nadinha da surra que deu em meu Santos nas semi-finais. Tudo bem, acontece.

3) Assistir Lisbela e o Prisioneiro, do Guel Arraes, com o Selton Mello, a Débora Falabella e o Marco Nanini. De fato, é a revitalização do cinema brasileiro, após um longo período de trevas.

quarta-feira, março 31, 2004

Hoje é aniversário da quartelada!


Há exatos 40 anos foi instalada a ditadura militar, que manteve este país por 21 anos num período de obscuridão que poderíamos chamar de "nossa Idade Média". Lembro que no 2º ou 3º ano do primário, quando a professora me perguntou em que regime estávamos, esperando que eu e toda a classe disséssemos "democracia", eu respondi inocentemente "ditadura, professora", só porque achava essa palavra engraçada e semelhante a "dentadura"! Mais tarde, no ginásio, lembro que houve uma sindicância porque uma bandeira brasileira fôra encontrada incendiada. Naquela época havia aulas de Educação Moral e Cívica. Lavagem cerebral, para alguns. Era a época do "Brasil, ame-o ou deixe-o", quando muitos brasileiros foram presos, torturados, exilados, outros desaparecidos... Mas só fui ter plena consciência de que vivíamos num estado de exceção, quando entrei na Unicamp, em meu primeiro (e único) ano de Física. Confesso que foi uma grande decepção conhecer a realidade (lembra da revista Realidade?) de nosso país apenas no mundo acadêmico, imune à censura vigente. É, amigos, eu vi, e vivi. E é bom que fique claro que sou contra toda e qualquer ditadura, companheiros. Abaixo a ditadura! A democracia tem muitas imperfeições, mas ainda não inventaram modelo melhor.

sábado, março 27, 2004

You talkin' to me?


Fiquei impressionado com o monólogo do Robert De Niro e a bela trilha sonora de Bernard Herrmann nesse filme do Scorsese, quando o vi pela primeira vez no antigo Cine Bijou, em frente à Praça Roosevelt. Refiro-me a Taxi Driver, com a Jodie Foster (novinha!) e a Cybill Shepherd. Lembra?

Rui Barbosa - Obras Completas, Senado Federal, RJ


"De tanto ver triunfar as nulidades,

de tanto ver prosperar a desonra,

de tanto ver crescer a injustiça,

de tanto ver agigantarem-se os poderes

nas mãos dos maus,

o homem chega a desanimar da virtude,

a rir-se da honra,

a ter vergonha de ser honesto."

segunda-feira, março 22, 2004

Agora você vai estar lendo o que eu escrevi...:-)


Essa frase faz doer seu ouvido também? Não seria mais simples dizer: "agora você vai ler o que eu escrevi" ou "agora você lerá o que eu escrevi"? Pois é, mas virou modismo empregar o gerúndio dessa forma! Pelo que me lembro, essa construção só é aceitável em Português em duas hipóteses:
1) Em um período de tempo bem determinado e definido, alguém vai estar ou estará fazendo alguma coisa.
2) Quando Fulano estiver fazendo alguma coisa, simultâneamente Siclano vai estar ou estará fazendo outra coisa.
Veja o site da Nicole, que comenta muito bem esse assunto. A professora Piacentini e o Movimento Nacional em Defesa da Língua Portuguesa, idem.
I didn't know I was looking for love until I found you...

domingo, março 21, 2004

Curiosidades do Inglês


Palavras que começam com sp- e significam esparramar ou espalhar (scatter, spread out) líquidos, como água, lama, e neve derretida, por exemplo:

spatter (também bespatter): borrifar, salpicar, respingar
spigot (também faucet, tap): torneira
spill (também slop, slosh = slop + slush): derramar, transbordar, entornar
splash: borrifar, esguichar, salpicar, chapinhar, chafurdar. Dá até para se ouvir o som (squish) de se correr na lama ou se jogar na água, não?
splatter (splash + spatter): esparramar
spout (também squirt, gush): esguichar, jorrar, espirrar; torneira, esguicho, seringa
spray: borrifar, pulverizar, vaporizar
sprinkle (também besprinkle, besprent): borrifar, chuviscar, regar, salpicar, polvilhar
spurt: esguichar, jorrar
sputter (também spit out): borrifar, salpicar

quarta-feira, março 17, 2004

Feliz Aniversário, Pimentinha!


Elis Regina de Carvalho Costa nasceu em 17 de março de 1945 em Porto Alegre e vai viver para sempre em nossas lembranças depois daquele triste 19 de janeiro de 1982. Tive a rara sorte de vê-la no show Falso Brilhante em 1975 no Teatro Bandeirantes na Brigadeiro Luís Antônio, no Bairro do Bixiga, em São Paulo.
Para saber mais:
Elis Regina do Brasil
Elis Vive
Elis Regina
Viva Elis
Elis Regina
E há muitos outros...porque você sempre foi uma estrela, Elis!

segunda-feira, março 15, 2004

Micro lento - parte III


Contribuição do Vítor, de Curitiba:
"Minha principal dica vai para os efeitos visuais do Windows, nas versões 9x abra a janela de propriedades do vídeo (aquela mesma onde se modifica o protetor de tela), e clique na aba "Efeitos", depois desabilite tudo o que achar desnecessário, minhas sugestões são "Mostrar conteúdo da janela ao arrastar", "Usar ícones grandes", "Usar listas, janelas e menus animados".
Para o Windows XP o caminho já é mais complicado, mas o número de opções a desabilitar é recompensador! Ele tem algo similar nas propriedades de vídeo, aba "Aparência", botão "Efeitos...". Mas o que realmente interessa está nas propriedades de sistema (painel de controle-->Sistema), clique na aba "Avançado" e depois no botão "Desempenho". Dentro dessa nova janela, mexa apenas na aba "Efeitos Visuais", não mexa na outra aba se não souber o que significa, pois nela você afetará o modo como o sistema trabalha profundamente.
Outra dica importante é o número de cores na Área de Trabalho, qualquer número acima de 16bits ("High Color" no 9x ou "Médio" no XP) é injustificável já que seu olho não perceberá a diferença de nuanças.
Agora apenas dicas rápidas:
a: Mantenha o menor número possível de atalhos na Área de Trabalho!
b: Organize o Menu Iniciar e desinstale programas que você não usa mais!
c: Todas as fontes instaladas (C:\Windows\Fonts) são carregadas junto com o Windows, apague as que você não usa (exceto as de sistema: Arial, Times, MS Sans Serif, Windings e etc)
d: Sempre limpe a lixeira e as pastas C:\Windows\Temp e C:\Windows\Temporary Internet Files

Além destas dicas de performance, eu gostaria de acrescentar quatro dicas de segurança:
1- Não use softwares gerenciadores de e-mail (ex: Outlook), por fazerem download automático das mensagens, eles habilitam que vírus e outros códigos maliciosos se auto-enviem para toda sua lista de endereços, além de você perder a vantagem de passar o antivírus do seu servidor de e-mails, que está sempre atualizado e o arquivo não precisa estar na sua máquina.
2- Nunca entre em sites suspeitos ou fique procurando "cracks" para programas.
3- Sempre fique de olho nos links em que você clica, para isso, basta deixar o cursor do mouse sobre o link e visualizar na barra de status (parte mais inferior do navegador) para onde ele aponta.
4- Mantenha as atualizações do seu sistema em dia, principalmente do Navegador.

E como complemento dessa última dica, eu recomendo a desinstalação do Internet Explorer usando o software 98lite ou XPLite (disponíveis em www.litepc.com) e sua substituição pelo Mozilla FireFox (disponível em www.mozilla.org)"

As Novas de Hoje


A Folha hoje traz 2 manchetes interessantes:
- a principal: "Reação a terror dá vitória a socialistas na Espanha"
- a segunda: "Nós nos perguntamos como o espírito humano consegue conceber estes atos abomináveis"
Pois bem. A primeira manchete mostra o que acontece quando o governo espanhol vai contra a vontade popular ao apoiar os interesses americanos na invasão ao Iraque e depois apressar-se em culpar os bascos do ETA pelo atentado da última quinta-feira a Madri, quando tudo indica que o atentado foi executado pelos extremistas ligados à Al Qaeda. A segunda são as palavras do Papa sobre aquele atentado.
Mais notícias da Espanha, ver El Mundo, El País e El Correo.

domingo, março 14, 2004

Fim de Semana


Sábado fomos com um casal de amigos ao Teatro Bibi Ferreira e vimos "Qualquer Gato Vira Lata Tem Uma Vida Sexual Mais Ativa Que A Nossa", peça do Juca de Oliveira, dirigida pela Bibi Ferreira, com o seguinte elenco: Fabiana Alvarez, Felipe Folgosi e o Giuseppe Oristânio - colega de ginásio, dos tempos do Parrote, do Alvarenga e do Pulinha.
E domingo, vi o O Homem Que Copiava. Recomendo.

domingo, março 07, 2004

Micro lento - parte II


Dica do Roberto: "Olha, outra dica muito importante é a placa de vídeo. Para PCs antigos (500 MHz), usar algo que tenha mais que 100 Mpixel/s e para os PC mais novos (>1 GHz), mais que 200 Mpixel/s. Memória, depende do Sistema Operacional... de Win98 até ME, minimo 128; XP deve ter no mínimo 256M, ok?"
Por falar nisso, evite aquelas motherboards que têm vídeo, som etc "on board". São mais baratas, mas se você quiser atualizar seu sistema, tem que trocar a placa-mãe.
Leia mais no site do Laércio Vasconcelos. Se você tem alguma noção de inglês, vale uma visita ao PC Pitstop. O fórum do CNET Help também dá boas dicas em inglês.

segunda-feira, março 01, 2004

Lentium com muitos Mb de vagas lembranças


Outro dia um amigo comentou que seu micro estava muito lento. É comum a gente ouvir esses comentários hoje em dia. Então resolvi colocar aqui algumas dicas. E por favor, corrijam-me os especialistas se eu escrever alguma bobagem. Mas vou tentar ajudar com sugestões que li em artigos de revistas especializadas e na própria Internet.
Sempre é bom lembrar que a velocidade do micro depende de:
- seu clock, isto é, aquela frequência mencionada junto com o nome do processador. Por exemplo, 450 MHz, 936 MHz, 1.0 GHz, 3.0 GHz etc, que está ligada ao número de operações que o processador poderá efetuar dentro de um determinado tempo.
- sua memória RAM (Random Access Memory), contida naqueles pentes de memória que se coloca nos devidos slots, totalizando 128 Mb, 256 Mb, 512 Mb etc.
- espaço disponível no disco rígido (HD, winchester) que o sistema operacional, como o Windows, utiliza como memória provisória quando não há memória RAM suficiente.
- número de tarefas delegadas ao processador, como o número de janelas e programas abertos ao mesmo tempo. E aí reside minha primeira dica:
1) Reduzir o número de aplicações ou programas abertos e rodando simultâneamente. Teste o Cool Beans System para ter uma idéia de como está utilizando os recursos de seu micro.
2) Para agilizar o boot e fazer com que menos aplicativos e processos sejam executados, no Windows, menu Iniciar, selecionar Executar , digitar msconfig e clicar OK. Na guia Inicializar, desativar ou desmarcar os programas desnecessários. Na barra de tarefas do Windows (canto direito inferior, ao lado do relógio), melhor não haver mais de 3 ou 4 ícones.
3) Rodar o Scandisk e o Desfragmentador com frequência.
Bom, depois colocarei mais dicas, aos poucos. Se alguém lembrar de alguma dica legal, favor compartilhar com a gente.


Outro assunto, antes que eu esqueça: ontem visitei depois de muitos anos o Museu do Ipiranga e gostei, apesar de achar que o acervo é bem escasso, se compararmos com o Museu do Louvre por exemplo. Mas estão reformando os jardins com os chafarizes e tem uma boa área verde para atividades físicas e de lazer. É isso.

domingo, fevereiro 29, 2004

Sites de legendas


Conheço só estes cinco: eXTratitles.to, DVDbox, divxsubtitles.net, subtitles.cz, e Legendas.Brasil.

Anti-vírus, firewalls e spyware hunters gratuitos


Em setembro do ano passado, citei apenas um anti-vírus gratuito: o AVG 6.0 for Windows, que continuo usando. Mas há outras boas opções, como o Avast, e o Kaspersky.
Também citei dois firewalls (o ZoneAlarm e o Kerio), mas vale a pena mencionar também o Sygate.
Para detectar e eliminar malwares, adwares, spywares e advertising trojans de seu micro, sugiro o Ad-aware e o Spybot.

quinta-feira, janeiro 08, 2004

Viagem ao Chile

Diário de Bordo - primeiro dia


Dia 20 de dezembro, 17 horas foi quando decolamos rumo a Santiago. Viagem tranqüila de cerca de 3 horas e meia no ar. Só uma leve turbulência por uns cinco minutinhos. Desembarcamos às 20 horas (hora local, nossos relógios ainda marcavam 21 horas). Após recuperarmos as bagagens, lá estava o Carlito à nossa espera, com seu gorro da PPG. Camarada simpático, com o qual troquei alguns e-mails durante as semanas anteriores, apresentado pelo Odair, nos deu uma carona até o Hotel Principado. Deixei com ele o jornal chileno que peguei no vôo, e uma caixa de bombons. No caminho ele deu uma rápida passada pelo Bairro Brasil e pelo Centro. Estávamos cansados e foi ótimo quando fizemos o check-in no hotel. Nada de sair, já tínhamos jantado no avião.
Dia seguinte, como combinado, ele nos pegou às 10 horas e fomos ao Valle Nevado. O percurso foi por um pouco mais de 1 hora, mas por dezenas de curvas fechadas e em declive. Morros altos com vegetação escassa, cactos. Paisagem desconcertante para a gente.
Nessa época o Valle Nevado não tem nada de nevado. Somente os picos mais altos ainda têm neve, que nunca se derretem. Mas na estação de esqui vimos vários ciclistas, que pegam o teleférico para as estações mais altas, para depois descer de byke, no chamado downhill. O próprio Carlito sofreu um acidente descendo aquelas encostas e ficou três dias em coma por causa de uma queda.
Graças ao Geocities posso colocar aqui a foto que simboliza toda a viagem:

domingo, janeiro 04, 2004

2004


Pessoal, nem tive tempo de desejar feliz Natal e Ano Novo. Dia 19 de dezembro fui para o Chile, só voltando ontem, 3 de janeiro.

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...