Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2006
Justiça em Dobro
Por enquanto este é apenas o subtítulo do filme que revi hoje: "Starsky e Hutch - Justiça em Dobro" (Starsky & Hutch, 2004, Todd Phillips). Nele os policiais Starsky (Ben Stiller) e Hutch (Owen Wilson), da série homônima de TV dos anos 70, resolvem um caso de tráfico de drogas. Até que enfim uma adaptação de série de TV ficou boa. O diretor soube tirar o melhor da estória e dos personagens. E foi bem legal a aparição dos atores da série, Paul Michael Glaser, o Starsky, e David Soul, o Hutch. Legal também foi o Owen Wilson cantar "Don't Give Up On Us Baby", que tinha sido gravado pelo David Soul em 1977. Resumo: não é filme para se pensar, mas rir bastante. Bom entretenimento.
Cenas de um Shopping
Refiro-me ao filme "Cenas de um Shopping" (Scenes from a Mall, 1991, Paul Mazursky), a estória do casal Deborah (Bette Midler) e Nick (Woody Allen) que discute sua relação em um shopping de Los Angeles. Bom, por essa dupla de atores, você já pode deduzir que o filme tem cenas engraçadíssimas. E tem mesmo. E note que nesse filme Allen "apenas" atua, não dirige. O diretor é o Paul Mazursky. Fiquei fã dele quando vi "Próxima Parada, Bairro Boêmio" (Next Stop, Greenwich Village, 1976). Ele dirigiu também "Uma Mulher Descasada" (An Unmarried Woman, 1978) com a Jill Clayburgh perfeita, e "Harry, o Amigo de Tonto" (Harry and Tonto, 1974), com Art Carney recebendo Oscar de Melhor Ator. Segundo os críticos, "Cenas de um Shopping" é um filme mediano, mas confesso que gostei. Poderia ser mais profundo, mas aí já temos "Cenas de um Casamento" (Scener ur ett äktenskap, 1973) do genial Ingmar Bergman. …
São Paulo, 452 anos
Como bom paulistano hoje eu tentei visitar o mirante do prédio do Banespa. Mas desisti ao ver o tamanho da fila, que dobrava o quarteirão. Hoje, no aniversário da cidade, muita gente teve a mesma idéia. Não faz mal, vou tentar no fim de semana. Para não perder a viagem, resolvi entrar na Igreja de São Bento. Não sou propriamente católico, mas gosto de visitar igrejas católicas, apreciar seus vitrais, suas abóbadas, seus órgãos de tubo, e visitar suas torres quando possível. Acho que peguei essa mania ao viajar pela Europa há alguns anos. A arte sacra é riquíssima, em todos os sentidos. Gostei muito. Dica: todo domingo tem missa às 10 horas com canto gregoriano e órgão. Pronto. Já coloquei na minha agenda.
Já viajei bastante e nunca vi em outro lugar essa característica interessante que talvez só São Paulo tenha: ruas e quarteirões especializados em determinados ramos do comércio. Exemplos:
Rua 25 de Março (Centro): paraíso de compras para sacoleiros e saco…
Imagem
Fui ao Maranhão e conheci Jesus

São Luís
Se me converti a alguma seita cristã ou pseudo-cristã? Não. É que viajei de férias a São Luís do Maranhão. E lá existe um refrigerante local, recentemente adquirido pela Coca-Cola. É o Guaraná Jesus, criado em 1920 pelo farmacêutico Jesus Gomes. Apesar do nome, tem cor de rosa e sabor de canela.
Ah, conheci também o César Nascimento através da canção Ilha Magnética, que é um dos hinos a São Luís do Maranhão. Essa cidade de cerca de um milhão de habitantes tem vários clubes e bares de reggae. A música popular maranhense inclui vários ritmos, como o bumba-meu-boi, tambor de crioula, casa das minas, blocos tradicionais e grupos carnavalescos. Conheci um pouco do folclore local na Casa do Maranhão e na Casa de Nhozinho, no centro histórico.
Visitei também Alcântara, no continente, indo de lancha. Dica: tomar um antiemético, como o Dramin por exemplo, meia hora antes de embarcar. A travessia de cerca de uma hora e quinze minutos é terrível! Mas …
Lições Para Toda A Vida
Sábado passou na HBO "Lições Para Toda A Vida" (Secondhand Lions, 2003, Tim McCanlies), um belo filme para se assistir com a família. É a estória de um garoto tímido, Walter (Haley Joel Osment), que é deixado pela mãe, a irresponsável e mentirosa Mae (Kyra Sedgwick), com seus tios ricos e excêntricos, Garth (Michael Caine) e Hub (Robert Duvall), num sítio do Texas. Veja parte das lições do tio Hub:
"Às vezes as coisas que podem ou não ser verdades são as coisas em que um homem precisa muito acreditar. Que as pessoas são basicamente boas; que a honra, a coragem, e a virtude significam algo; que o poder e o dinheiro nada significam; que o bem sempre triunfa sobre o mal; e quero que você se lembre que o amor...o verdadeiro amor nunca morre. Lembre-se disso. Não importa se é verdade ou não. Veja, um homem tem que acreditar nestas coisas, porque elas são as coisas em que vale a pena acreditar."
Essa tradução é minha. O filme vai de novo amanh…
Drácula
Quem já viu meu blog, sem me conhecer pessoalmente, acha que eu só gosto dos filmes do Hitchcock. Não é bem assim. Gosto do chamado cinema de autor, de diretor. Freqüentei muito o Cine Bijou e o Belas Artes, principalmente. Acho que o principal num filme é o diretor. É como se fosse o treinador ou técnico de um time de futebol - para mim seu papel é essencial. Acho mais fácil haver um bom filme com um bom diretor e um grupo de atores razoáveis do que com um diretor ruim e um grupo de bons atores. Meus diretores preferidos: Woody Allen, Robert Altman, Ingmar Bergman, Tim Burton, os irmãos Joel e Ethan Coen, Francis Ford Coppola, Brian de Palma, Clint Eastwood, David Lynch, Roman Polanski, Sydney Pollack, Martin Scorcese, Quentin Tarantino, Bernardo Bertolucci, Paul Mazursky e Alan Parker, para falar só dos vivos. Por falar nisso, voltemos ao assunto que eu queria comentar: Drácula.
Gosto muito dos filmes de Drácula. Outro dia, vi na TV aberta "Vampiro da Noite" …