sábado, março 31, 2007

Rebelião

Hoje eu fiquei frustrado. Olhei na Folha. Olhei no Estado. Não achei sequer uma linha. A quartelada de 1964 está fazendo aniversário e ninguém escreveu nada! Nem o site do Exército traz alguma nota a respeito! Aliás, o Exército está subordinado a um homem de esquerda, o Valdir Pires, que deve ser substituído pelo comunista Aldo Rebelo! O que está acontecendo? Será que aquele parajornalista* da Veja (imprensa marrom) vai rabiscar alguma coisa sobre o assunto?
O folhetim do Estado, o Jornal da Tarde, traz: "A maior rebelião militar na Aeronáutica desde 63", sobre o motim dos controladores de vôo. E tudo bem? Como diria o Jô Soares no "Viva o Gordo, Abaixo o Regime", me tira o tubo. ;-)
E não é que agora a turma do PFL virou Democratas?! É brincadeira? Pior que não.
Bom, deixa eu ir. Vou me consultar com meu guru político, que estou precisando.


*melhor não falar o nome do sujeito, porque é isso que ele quer.

domingo, março 25, 2007

Esperando o Messias

Sexta a TV Cultura apresentou "Esperando o Messias" (Esperando al Mesias, 2000, Daniel Burman) na Mostra Internacional de Cinema. É o melhor filme escrito e dirigido pelo argentino Burman, que também produziu "Garage Olimpo" (1999, Marco Bechis) e "Diarios de Motocicleta" (2004, Walter Salles). É um filme interessante, com altos e baixos, sobre o jovem Ariel (Daniel Hendler), portenho e judeu, que conhece o bancário desempregado Santamaría (Enrique Piñeyro) e a lésbica produtora de TV Laura (Chiara Caselli, atriz italiana que trabalhou com os irmãos Taviani em Fiorile, 1993). Embora superestimado, este filme tem uma perspectiva naturalista à la Altman. Também só para iniciados.

segunda-feira, março 19, 2007

Assassinato!

"Assassinato" (Murder!, 1930) é um filme do Hitchcock ainda em sua fase inglesa, antes de se mudar para os Estados Unidos. Resumo: a polícia encontra uma atriz morta ao lado de sua colega, que parece meio dopada. Todas as provas circunstanciais apontam para a moça, que chega a ser condenada. No entanto, um membro do júri suspeita do namorado dela. Bom, deixemos o suspense então. Este é um dos primeiros filmes falados do mestre. Só para iniciados, portanto. Se o seu perfil for algo mais próximo de "Velozes e Furiosos", passe longe desses antigos filmes do mestre.

sábado, março 17, 2007

Capitães de Abril

Às vezes a TV aberta me surpreende. Ontem por acaso descobri a Mostra Internacional de Cinema na Cultura, que passou "Capitães de Abril", dirigido pela Maria de Medeiros em 2000. É uma ficção sobre o movimento de 25 de Abril de 1974 que ficou conhecido como a Revolução dos Cravos e derrubou o regime fascista de 48 anos em Portugal. Há momentos em que a única solução é desobedecer. Esse é seu subtítulo. Fantástico - para quem gosta de Cinema e de História.
Que bom que a TV Cultura continua excelente, principalmente às sextas, 22h40! Pena que muita gente prefira ver certos programas (dos quais me recuso a citar os nomes) na Globo...

segunda-feira, março 12, 2007

Lula desce do muro, para o lado de Bush

Sábado passado este foi o título da coluna do Clovis Rossi na Folha de S.Paulo. A primeira idéia que me ocorreu ao lê-lo foi que tivemos algo positivo: alguém desceu do muro. Sim, porque no partido da Folha ninguém é muito afeito a descer dos muros. Outro ponto positivo, nem que seja apenas para aqueles que gostariam de um terceiro turno, é que o presidente fez a opção certa, aparentemente. Entre descer para o lado de Bush ou para o lado de Chávez, tenho certeza de que a classe média e os plutocratas fariam a mesma opção do presidente. Então "essa gente" fica sem munição, a não ser spams preconceituosos como os que recebo de vez em quando e que destacam a falta de escolaridade do presidente, por exemplo. Aliás, alguns desses e-mails revelam bem o nível cultural de quem os escreve e propaga.
Dizem que cada povo merece o governo que tem. Faz sentido. O presidente e a família dele provavelmente representam o brasileiro típico, médio, aquele que se encontra nas ruas, lugar-comum. E até por isto mesmo foi eleito e reeleito. Certos e-mails dão a entender que cabe a nós atuarmos para mudar "tudo isso que está aí" através do voto. Concordo plenamente. E tivemos essa oportunidade recentemente. No entanto não é cabível agora um terceiro turno, que me perdoem os inconformados.
Quando afirmo que o presidente é um típico brasileiro, cabe lembrar que nem todo o brasileiro é como ele naturalmente, porque o povo brasileiro não é homogêneo. Nisso parecemos os Estados Unidos, que tampouco são homogêneos e têm um presidente também bastante questionável.
Não dá para comparar a América com a França, a Alemanha e a Inglaterra, por exemplo, que são nações seculares, com identidade própria e características definidas. Eles têm um padrão de pensamento, cultura, personalidade, índole etc. Dá para grosseiramente bater o olho e dizer: este é francês, aquele é inglês, aquele outro é alemão. Mas quem é o brasileiro? Quem é o norte-americano?
Não é surpresa nenhuma o comportamento do presidente, se considerarmos sua origem e sua história. Basta olhar para os lados e veremos "Lulas" por toda parte. Novo-rico ou não.
Em viagem recente, observei gente de classe média, a julgar pelo automóvel, dar sinal de luz aos motoristas dos automóveis trafegando em sentido contrário, avisando que logo adiante estaria um guarda para fiscalizar eventuais excessos de velocidade. Pensei na hora: ali estava alguém contra a lei. Da mesma forma que um filho, ao ver o pai avançar um sinal vermelho, pensaria: "é certo burlar a lei".
Conheço muita gente que pede comprovantes de pagamentos não efetuados a dentistas e médicos, por exemplo, e estes lhes fornecem tais documentos, todos com a finalidade de burlar o fisco.
É comum se ver no trânsito automóveis com uma fitinha na placa traseira com a finalidade de dificultar a identificação do veículo e assim poder avançar um sinal e exceder os limites de velocidade.
É comum se comprar software pirata alegando-se que fica mais barato. O original é caro. Então se faz a própria lei. Copiam-se CD's e DVD's - quem se importa com direitos autorais?
Furar fila. Ultrapassar pela direita. Trafegar pelo acostamento. Pisar na grama. Perceber que recebeu troco a mais e não devolver. Tudo bem. O importante é levar vantagem, certo? Há uma lista enorme de comportamentos "tipicamente brasileiros", ou tipicamente latino-americanos, ou latinos simplesmente. É o nosso famoso "jeitinho".
O cômico, e trágico, é que essas mesmas pessoas criticam os políticos, esquecendo que os políticos são o espelho da própria sociedade. E dizem que lá fariam da mesma forma. Que se ajeitariam, que roubariam mesmo, e também. E acabam escolhendo esses mesmos políticos. Um deles pode estar lá a qualquer momento, como é o caso do presidente.
Essa gente é mesmo hipócrita, não? Enfim, nenhuma surpresa.

domingo, março 04, 2007

Carnaval na montanha

 
Pensei em ir para Cananéia neste último feriadão de Carnaval. Ainda bem que mudei de idéia e fui para o circuito paulista das águas. Enquanto me dirigia tranqüilamente para Jundiaí pela Anhanguera, ouvia no rádio notícias sobre o enorme congestionamento na Régis (BR-116). Acho que fiz a escolha certa. E este é literalmente o caminho da roça: Anhanguera até Jundiaí; entrar à direita rumo a Itatiba e Morungaba. Pode ser também pela Fernão Dias, com duas alternativas: saindo pela D. Pedro em direção a Amparo, ou por Bragança em direção a Socorro. A seguir as cidades que valem a pena ser visitadas:

  • Pedreira - paraíso das porcelanas, louças, cerâmicas e faianças, pertinho de Jaguariúna, que tem passeio de maria-fumaça.
  • Amparo - centro histórico, arquitetura, fazendas, parques, trilhas.
  • Monte Alegre do Sul - excelentes cachaças em mais de 80 alambiques artesanais, principalmente na estrada para Pinhalzinho.
  • Serra Negra - mais movimentada das estâncias hidrominerais, com malhas e artigos de couro. Dica gastronômica: restaurante Sr. Bacalhau, mas vá preparado porque é meio caro e não aceita cartão. E não deixe de subir de teleférico ao Cristo Redentor.
  • Socorro - montanhas, vôo livre, trilhas, cachoeiras, corredeiras. Parada obrigatória: Feira Permanente de Malhas e Moda Shopping. Principais atrações ecológicas e radicais na estrada para Munhoz-MG. A foto acima mostra Socorro vista da Pedra Bela.
  • Lindóia e Águas de Lindóia - balneários, parques, queijos, doces, tranqüilidade. A foto abaixo mostra Águas de Lindóia vista do Morro do Cristo.
  • Monte Sião (Minas) - paraíso das malhas, além de porcelanas e doces e queijos mineiros. Ponto de partida para Ouro Fino, Jacutinga (malhas), Inconfidentes (crochê) e Bueno Brandão (montanhas, cachoeiras).

 

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...