domingo, agosto 26, 2007

Domingo no Parque


Hoje fui à Pedra Grande no Parque Estadual da Cantareira. É pertinho, fica a apenas 6 km da estação Santana do Metrô. São 3 km de caminhada, cerca de 1 hora. Se tiver sorte, ou conforme o horário, podem ser vistos bugios, quatis, serelepes e diversos pássaros. Fica a 500 metros da entrada do Horto Florestal, abre em fins de semana e feriados, e a entrada custa apenas R$ 2,00. Tem algumas trilhas, mas a visão da cidade a partir da pedra (1010 m) é a principal atração. Veja mais detalhes no site.

sábado, agosto 18, 2007

Piauí é Brasil

Paulo Zottolo, o "cansado" presidente da Phillips do Brasil, afirmou em entrevista ao jornal Valor Econômico que "não se pode pensar que o país é um Piauí, no sentido de que tanto faz quanto tanto fez. Se o Piauí deixar de existir ninguém vai ficar chateado".
Em Teresina, estudantes quebraram produtos da Phillips cantando o hino do Piauí e mostrando a bandeira do estado.
Em Porto Alegre, alguns manifestantes "cansados" tornaram a lembrança da tragédia do vôo 3054 da TAM em um ato político cantando o hino do Rio Grande do Sul e mostrando a bandeira do estado.
Talvez seja interessante pesquisar na Internet sobre a gênese do nazismo e do fascismo. Será que estamos em fase pré-nazifascista? As circunstâncias históricas seriam semelhantes ao que vemos hoje?
Não lembro do hino do meu estado e raramente vejo a bandeira paulista. Embora tenha tido aulas de "Educação Moral e Cívica" no ginásio, não sei dizer se lembro de cor toda a letra do hino nacional. Acho fascista esse negócio de símbolos da pátria. Prefiro este trecho da canção Imagine do John Lennon: "Imagine there’s no countries. It isn’t hard to do. Nothing to kill or die for. And no religion too. Imagine all the people living life in peace". Contudo, admito que não tenho vergonha de ser brasileiro, e tenho repúdio a qualquer movimento separatista.
Cito a questão do separatismo por ver na rede gente pregando a fragmentação do país. Se você pesquisar um pouco, verá excrecências como: Liga de Defesa Paulista, Força de Libertação Paulista, Movimento O Sul é o Meu País, Movimento Pátria Rio Grande e Partido da República Farroupilha. Para mim, os dois Rio Grande (o sulista e o nordestino) fazem parte do pais. Ao contrário dos separatistas, prefiro a participação e a inclusão.

quarta-feira, agosto 15, 2007

Ovo da Serpente

Companheirada, vigiai! porque não sabeis quando chegará o tempo, quando virá o ... golpe que está em gestação. "Essa gente" que sempre foi chapa branca está cansada de ficar fora do centro do poder. Estão fazendo de tudo, mas de tudo mesmo, para voltar. Mudaram até o nome para "democratas"!
Que coisa feia! O Farol de Alexandria disse que a parada de 7 de setembro é uma palhaçada ... veja no site do Paulo Henrique Amorim.
Aliás, palhaçada mesmo é a campanha do Estadão contra os blogs. Há blogs ruins, mas também há blogs bons e úteis, assim como jornais e revistas. Se tem blog copiando e colando textos de jornais, não é novidade alguma que os jornais fazem o mesmo há muito tempo com as agências de notícias, como a Reuters por exemplo. Uma coisa é fato. Outra é opinião. Antigamente, por ser o maior, o Estadão era bastante noticioso, mas seu editorial e suas seções de opinião sempre foram horríveis. Se o sujeito lê o Estadão e a Veja, acha que está bem informado e não sabe que está sendo manipulado, fazer o quê? Desde cedo, na universidade, aprendi que a melhor estratégia é consultar fontes diferentes e selecioná-las conhecendo o "apito que cada uma toca".
Em tempo:
O YouTube nacional tirou do ar e o internacional tem uma versão incompleta, mas a Globo mantém o vídeo integral do Programa do Jô, em que ele critica o movimento dos ricos cansados. Clique se você ainda não viu. Acho que você tem que usar as últimas versões do Internet Explorer e do Windows Media Player.

domingo, agosto 12, 2007

Momento de reflexão

Sou contra o movimento dos ricos paulistanos que estão aproveitando o acidente da TAM para fazer política, conforme o tocansadinho.blogspot.com/. E defendo o Jô Soares, reproduzindo a seguir o trecho de seu programa, que está sendo atacado por blogs de reacionários:

Em tempo: o vídeo foi retirado!


Embora desde cedo eu tenha me interessado pela história recente do país e daí me engajado nas campanhas pela democracia, nunca fiz proselitismo. Dei opinião e ponto de vista sempre que solicitado. Com exceção de alguma panfletagem nos tempos de estudante , algumas passeatas contra a ditadura, e o trabalho de formiguinha em associação de moradores de periferia, nunca bati de porta em porta para dar opinião não solicitada. Aprendi, não sem dificuldades, que o confronto deve ser evitado. Vi muitos debates terminarem em ressentimentos. Confesso que as vezes me sinto desconfortável quando um familiar, um parente, um amigo, um colega ou qualquer pessoa com quem eu me importe vem querer me converter à sua religião, filosofia e ideologia. Sou a favor de livre pensamento e expressão, mas temo a confusão entre idéias e pessoas. E temo a divisão das pessoas por causa das idéias. Em dados momentos me vem à mente um trecho do evangelho de Mateus: "Então, estando dois homens no campo, será levado um e deixado outro; estando duas mulheres a trabalhar no moinho, será levada uma e deixada a outra". Em outro trecho: "...vim causar divisão; o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe... os inimigos do homem serão pessoas de sua própria família". O mundo perdeu toda vez que as diferenças foram tratadas com o ódio e não com a tolerância.

sábado, agosto 04, 2007

A ponte caiu. Deve ser culpa do governo.

A ponte desabou em Minneapolis. Será culpa da gestão do governo Bush? A estação Pinheiros da futura linha 4-amarela do metrô desabou em janeiro. Será culpa da gestão tucana em São Paulo? Ou será que os dois desabamentos serão culpa do Lula também? Pela lógica de antigos integralistas travestidos de democratas, deve ser.
Fiquei chocado com o acidente do vôo 3054 da TAM e achei melhor não comentar nada e nem apontar nenhum culpado de forma precipitada. Já basta o sofrimento dos familiares das vítimas do acidente. Mas os inconformados com derrotas eleitorais insistem em fazer uso político do acontecimento. É lamentável.
Não ia comentar sobre o acidente, mas em função de spam político-partidário que tenho recebido acho que devo dar minha opinião. A essa altura acredito que o acidente tenha acontecido devido a três fatores: falha no equipamento (computador etc, o que o fabricante do avião está negando), falha na manutenção do avião (que a empresa aérea nega) e falha no treinamento dos pilotos (que a empresa aérea também vai negar). Descarto a influência da pista, já que alguns minutos antes do acidente outro avião idêntico pousou sem problemas, sem contar os inúmeros pousos em condições semelhantes desde a liberação da pista - sem o tal grooving, que para as empresas aéreas na véspera do período de férias, e portanto da alta temporada, não seria essencial.
Não li a revista Veja, que considero imprensa marrom, mas sua última capa me surpreendeu. A Veja não afirmou (pelo menos não na capa) que a culpa foi do governo federal mas sim, clara e diretamente, dos pilotos!
É claro que o país tem problemas de infra-estrutura, não apenas no que se refere à aviação. Tais problemas se agravam com o crescimento e o aumento da demanda. Há diversos "apagões" e não apenas o aéreo do Lula e o elétrico do FHC. Tem havido e há apagões na Saúde, na Educação, na Segurança etc. E a não ser que se queira fazer política partidária e eleitoral, tais apagões não são exclusividade deste ou daquele governo. Este e os próximos governos têm muito o que fazer, por um longo tempo, até atingirmos uma situação confortável de país desenvolvido. A tarefa, aliás, é para toda a sociedade.
Em todos os casos, é importante ficar atento às iniciativas golpistas de alguns setores reacionários, como é o caso da OAB-SP. Estão enganados aqueles que pensam que a História é passado. Está acontecendo agora. Não percamos seu bonde.

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...