domingo, outubro 31, 2010

Apesar de você

Apesar da Veja, da Folha, do Estado e da Globo
Apesar dos spams difamatórios carregados de preconceito e ódio, espalhados por ignorantes que não conhecem a história recente do país e também pela direita consciente
Apesar das calúnias pela internet, por panfletos e por telemarketing
Apesar da ala retrógrada da Igreja, que deveria cuidar do Banco do Vaticano e da pedofilia
Apesar da Opus Dei e da TFP
Apesar dos integralistas e dos monarquistas
Apesar das promessas eleitoreiras do Zé Chirico – salário mínimo de R$ 600, reajuste de 10% para os aposentados
Apesar da privataria e xenofilia do PSDB e de sua propaganda enganosa e hipócrita
Apesar dos apoiadores da ditadura militar, do DEM (UDN, Arena, PDS, PPB, PP, PFL – trocam de nome como se troca de camisa)
Apesar dos exterminadores do Partidão e dos vira-casacas do PPS – Gabeira, Soninha etc
Apesar do Instituto Millenium, do Ternuma e dos ex-torturadores
Apesar de toda "essa raça", termo usado por aquela múmia nazista de Santa Catarina, hoje é um dia histórico porque o povo elegeu a primeira mulher presidente do Brasil!

Apesar de você

Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão
A minha gente hoje anda
Falando de lado
E olhando pro chão, viu
Você que inventou esse estado
E inventou de inventar
Toda a escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar
O perdão
Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Eu pergunto a você
Onde vai se esconder
Da enorme euforia
Como vai proibir
Quando o galo insistir
Em cantar
Água nova brotando
E a gente se amando
Sem parar
Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros, juro
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Este samba no escuro
Você que inventou a tristeza
Ora, tenha a fineza
De desinventar
Você vai pagar e é dobrado
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar
Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Inda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir
Antes do que você pensa
Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia
Como vai se explicar
Vendo o céu clarear
De repente, impunemente
Como vai abafar
Nosso coro a cantar
Na sua frente
Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai se dar mal
Etc. e tal

Vai passar

Vai passar
Nessa avenida um samba popular
Cada paralelepípedo
Da velha cidade
Essa noite vai
Se arrepiar
Ao lembrar
Que aqui passaram sambas imortais
Que aqui sangraram pelos nossos pés
Que aqui sambaram nossos ancestrais
Num tempo
Página infeliz da nossa história
Passagem desbotada na memória
Das nossas novas gerações
Dormia
A nossa pátria mãe tão distraída
Sem perceber que era subtraída
Em tenebrosas transações
Seus filhos
Erravam cegos pelo continente
Levavam pedras feito penitentes
Erguendo estranhas catedrais
E um dia, afinal
Tinham direito a uma alegria fugaz
Uma ofegante epidemia
Que se chamava carnaval
O carnaval, o carnaval
(Vai passar)
Palmas pra ala dos barões famintos
O bloco dos napoleões retintos
E os pigmeus do bulevar
Meu Deus, vem olhar
Vem ver de perto uma cidade a cantar
A evolução da liberdade
Até o dia clarear
Ai, que vida boa, olerê
Ai, que vida boa, olará
O estandarte do sanatório geral vai passar
Ai, que vida boa, olerê
Ai, que vida boa, olará
O estandarte do sanatório geral
Vai passar

sábado, outubro 30, 2010

Resposta a um amigo

Durante essa longa campanha, posso dizer que não vi nenhum programa eleitoral exceto o último, de ontem à noite. Achei patético o Zé Chirico cantando "verás que um filho teu não foge à luta". Com o golpe militar, ele foi o primeiro a fugir! Aliás, vocês viram a recaída da Globo, com aquele close no Zé Chirico quase chorando ao final do debate? Desespero da direita.
Pois é, um amigo, eleitor do Zé Chirico, me questionou sobre quem seria de esquerda então. Respondi assim (suprimindo as personificações):
Caro amigo, surpreendo-me que você não saiba, já que em minha percepção você tem cultura acima da média. Não faço proselitismo e por isso te respondo que as seguintes entidades NÃO são de esquerda: TFP, Opus Dei, AIB, Ternuma, Instituto Millenium, Democratas (UDN/ARENA/PDS/PPB/PP/PFL) além de coronéis torturadores e heróis da resistência que se tornaram vira-casacas. "Coincidentemente" todos esses apóiam a candidatura do Zé Chirico. É isso. Lamento pelos irmãos brasileiros que são de direita por opção ideológica consciente, por desconhecimento da recente história do país ou simplesmente por preconceito. Mas raiva e desespero não trarão um terceiro turno.

quinta-feira, outubro 28, 2010

Contagem regressiva

Agora faltam dois JN e uma Veja.  Isso sem contar uma provável armação da Globo no debate de amanhã.  Ou uma decisão da Folha de expor detalhes (convenientes à direita) sobre a luta de Dilma durante a resistência à ditadura militar, poupando os vira-casacas como Aloysio Nunes, Roberto Freire, Gabeira etc. Quem viver, verá.
Hoje vieram me "avisar" que a Marina teria decidido apoiar o Zé Chirico.  Estranhei.  Fui ver o site (verdadeiro) dela.  Era fraude espalhada pela Internet.  Na verdade, ela disse: "Não usem meu nome para o vale-tudo eleitoral", repreendendo os setores mais reacionários do PSDB.
Mais tarde, soube que o Zé Chirico recomendou às "meninas bonitas" de Minas Gerais que dessem um jeito para que seus pretendentes votassem nele! Saiu no jornal dele, a Folha.  Antes, ele tinha "cantado" ao vivo a apresentadora da Band.  Criticou a gravidez da Xuxa. E também ensinou o vice a ter amantes com discrição.  Agora, a meme #serracafetao é uma das mais populares no Twitter.
É, quanto mais a gente se informa, menos motivo tem para ficar indeciso.  Por falar em informação, cuidado, mas muito cuidado mesmo, com a fonte de informação.  Spam e fofoca não vale.  Se a informação vier da mídia, é necessário entender o que pensa o seu dono e a quem ele serve.  Não esqueça que a mídia no Brasil está nas mãos de uma dezena de famílias.  E tem muito "jornalista" por aí que chama patrão de colega.  Resta a blogosfera.  Ainda assim é preciso redobrar a atenção.  Essa é a campanha mais sórdida que já vi, desde a campanha do Collor, lembra?

segunda-feira, outubro 25, 2010

Direito à vida e à justiça

Hoje faz 35 anos que Wladimir Herzog, diretor de jornalismo da TV Cultura, foi "suicidado" pelos agentes da ditadura militar apoiada pelo partido Democratas (que na época se chamava ARENA). Hoje seus torturadores fazem parte da comunidade ultraconservadora que apóia a campanha do candidato da direita José Serra. Para quem não conhece o passado recente de nosso país, saiba mais em http://www.vladimirherzog.org/

domingo, outubro 24, 2010

Ignorância e preconceito

Agora só falta uma semana! Mas temos que tomar cuidado. Como um animal ferido e acuado, a direita é muito perigosa e vai partir para o tudo ou nada. A direita não tem mais nada a perder.  Basta observar como estão se comportando os seus porta-vozes.  Basta abrir a Folha e o Estado.  Basta ver a capa da Veja. É suficiente acompanhar o “jornalismo” da Globo.  Já perderam a credibilidade, se tinham alguma.
É hora de vigiar e evitar confrontos.  Vai ser difícil ficar calado ao ouvir bobagens de gente que não conhece a história recente do país, de gente que não lê e vota baseada em ignorância e preconceito.  Os reacionários estão atirando para tudo quanto é lado, através de spams e sites de relacionamentos.  É divertido, para não dizer trágico, ver a direita deixar a vergonha de lado e tirar a máscara ao revelar toda sorte de preconceitos.  Mas lembre-se de que é “melhor permanecer calado e passar por tolo, do que abrir a boca e não deixar dúvidas sobre isso”.
Confesso que fiquei apreensivo quando o segundo turno foi anunciado.  E ainda estou, porque sei do que são capazes os ultraconservadores e apoiadores do golpe de 1964.  Entre eles estão diversos segmentos da direita, como a TFP, a Opus Dei, os Democratas (novo apelido para PFL, PDS, Arena, UDN), os vira-casacas do PPS, os privatistas do PSDB, os integralistas, os monarquistas, os ex-torturadores etc.
Por outro lado, estou até gostando dessa oportunidade de conhecer melhor, não só os candidatos e os projetos que representam, mas principalmente as pessoas ao meu redor e, por que não dizer, a mim mesmo.  É hora de refletir sobre a motivação de nossas escolhas.  É hora de, numa auto-análise honesta, se perguntar: até que ponto as minhas escolhas estão baseadas em minha ignorância e nos meus preconceitos?

domingo, outubro 17, 2010

O vale-tudo dos spams

Outro dia recebi outro spam político-eleitoral, agora com um filminho anexado, que talvez seja de autoria ou protagonização de um jurista ligado a Opus Dei, chamado de “professor” pelo remetente.  Disse talvez porque não vi o filme.  Só li o texto, em consideração ao amigo, que pretendia me alertar sobre o perigo de se votar na Dilma.  Não tenho dúvidas de que o amigo o fez na melhor das intenções - aconselhar com dedicação e boa-fé.
De forma franca, respondi que torço para que o tempo passe rápido e cheguemos logo a novembro.  Depois de ver o crescimento das intenções de voto no candidato da direita, arrazoei que a escolha popular seja lá qual for deve ser respeitada.  O povo deve exercer sua soberania.  E não faz parte do espírito democrático contestar a escolha popular quando essa for diferente da nossa própria escolha. Se o povo decidir aceitar o discurso difamatório e conspiratório, e fazer valer o voto por ignorância e por preconceito, então provavelmente esse destino já esteja escrito nas estrelas e teremos que passar por isto de qualquer forma, não é mesmo?
Infelizmente nós, brasileiros, temos memória curta e boa parte de nós desconhece mesmo o passado recente do país.  Muita gente faz escolhas incoerentes por ignorância.  Já citei o caso da pessoa que não votou na Dilma porque ela teria sido terrorista, mas votou no senador que foi motorista do Marighela.  Essa pessoa simplesmente desconhece quem foi Marighela, e tem a cabeça feita pela propaganda reacionária.
Esse foi mais um dos incontáveis spams contra a Dilma que recebi.  Por outro lado, não recebi nenhum spam contra o Serra.  E nem poderia, já que a central dos spams é formada por sites de extrema direita, mantida por ex-torturadores que temem a abertura dos arquivos da ditadura militar.  Eles acusam de terrorismo aqueles heróis que participaram da resistência, mas poupam e escondem os vira-casacas que hoje apóiam o antigo companheiro Serra.  Esse fugiu para Paris quando a luta recrudesceu por aqui.  E voltou bem diferente – nota 3,75 na Constituinte, conforme o DIAP.
De minha parte, reitero meu respeito pela escolha popular e estou contente por não enviar e nem encaminhar nenhum spam, e também não incomodar ninguém em sites de relacionamento.  Não faço proselitismo e sou contra a disseminação de preconceito e ódio.

segunda-feira, outubro 11, 2010

Ocean Heaven

Ontem vi "Ocean Heaven" (2010), filme chinês falado em mandarim, escrito e dirigido por Xiao Lu Xue.  Nele,  Wang Xingchang (Jet Li) é um pai dedicado e desesperado.  Seu filho Dafu (Wen Zhang) é autista.  O drama começa quando o pai, ao descobrir que tem um câncer terminal, tenta o suicídio, atando um peso à própria perna e à perna do filho e saltando de um barco no meio do oceano.  A tentativa não dá certo porque o rapaz, exímio nadador, desata e salva ambos, imaginando talvez que fosse um treino, uma brincadeira.  A alternativa do pai é ensinar o filho a sobreviver sozinho, enquanto procura um lar de pessoas especiais para o rapaz.
Se não me engano, para Jet Li este é seu primeiro papel dramático não ligado às artes marciais.  É possível que fãs conservadores me repreendam, mas eu acho que este é o melhor filme com o Jet Li.  Meus amigos também são conservadores no que se refere a cinema. Também fui contestado ao eleger o melhor filme de James Bond: “007-Cassino Royale” (Casino Royale, 2006) do Martin Campbell, com o Daniel Craig no papel principal.
Em tempo: por falar em pessoas especiais, visite http://audioteca.org.br/ e conheça o trabalho dos ledores voluntários no Rio.

quinta-feira, outubro 07, 2010

Festa adiada

Aviso aos navegantes: a nossa festa foi transferida para dia 31. Se o povo quiser, teremos então a primeira mulher presidente do Brasil. Na segunda-feira, confesso que fiquei desapontado quando soube que haverá segundo turno. Temi as conseqüências de mais um mês de baixaria, difamação e calúnia contra a candidatura da Dilma. A direita, que se safou de uma derrota humilhante no primeiro turno, está em festa. Alguns alienados voltaram a me enviar spams que fazem parte de uma campanha sórdida promovida por ex-torturadores.
Para falar a verdade, nem ligo mais para esses spams, que já identifico apenas pelo título e pelo nome do remetente. Geralmente são reproduzidos por pessoas de boa índole, comuns na velha classe média, gente que não é rica e nem pobre, mas que faz escolhas baseadas ora na ignorância e ora no preconceito. Quando me refiro à ignorância, não o faço de forma pejorativa, mas no sentido de que tais pessoas não conhecem a história recente do país. Darei um exemplo. Sem que eu perguntasse, uma pessoa me disse que não votou na Dilma porque ela teria sido terrorista. Claro que essa pessoa não sabia que o Serra também foi, mas que fugiu para Paris quando a repressão recrudesceu. Mas aí veio o que eu já esperava. Perguntei sobre a escolha dessa pessoa para o Senado. No ato ela me disse: Aloysio, claro. Respondi que não entendi essa incoerência: a pessoa não votou em uma terrorista para presidente, mas votou em um terrorista para senador. Claro que tal pessoa não sabia que o Aloysio Nunes Ferreira, também conhecido por Beto ou Mateus, foi quadro do Partidão e militou na ALN, onde era motorista do Marighela. Sem dúvida, essa pessoa não sabe o que foi o Partidão, o que significou a ALN e muito menos quem foi Marighela. Claro. Então concluí que aquele cidadão fez as escolhas que fez por duas razões: ignorância e preconceito.
Em tempo: para mim, nem a Dilma, nem o Aloysio, nem o Gabeira e nem tantos outros que sobreviveram foram terroristas, mas sim heróis da resistência à ditadura militar.

domingo, outubro 03, 2010

Obama também é atacado pela mídia golpista

Recebido por e-mail do grupo observador da imprensa "Media Matters for America", o texto a seguir, que tentei traduzir, parece algum artigo do Observatório da Imprensa sobre o nosso PiG (Veja/Abril, Folha/UOL, Estado, Globo, Band), mas não é. Também nos Estados Unidos a mídia conservadora se transformou em partido político de oposição.
Em entrevista para a revista Rolling Stones, o presidente Obama falou sobre o clima na política e na mídia americana criticando o ponto de vista claro e inegável da Fox News que, segundo ele, é destrutivo para o crescimento de uma nação competitiva no mundo e que tem uma classe média vibrante.
Desde que Obama assumiu no ano passado, a Fox transformou-se de uma fonte de notícias com viés conservador para vir a ser a “voz da oposição”.
Em assuntos que vão desde impostos na área da saúde até meio ambiente, do papel do Islã ao papel dos sindicatos, a Fox age como partido político, não como rede de notícias. Seus “jornalistas” de “opinião” e “notícia” rotineiramente escolhem quais fatos precisam ou promovem falsidades para vender a agenda política conservadora da rede. Dessa forma, a Fox divulga mensagens que pretendem não fazer as pessoas mais informadas, mas sim inspirar medo e raiva em sua audiência. O que é ainda mais perigoso é que a Fox fornece uma tribuna não só para temas de um partido político, mas para ataques e difamações de cunho racial e religioso.
Através da promoção no ar de candidatos e causas republicanas, a Fox apóia e aplaude o movimento Tea Party (algo parecido com nossos “cansados”). Através de sua conivência à retórica extremista e de sua inclinação de ignorar fatos, distorce o processo político.
Todo dia a Media Matters for América se levanta contra as mentiras e sujeiras que a Fox e seus aliados na mídia conservadora tentam promover. Expõe a retórica extremista que de outra forma passaria despercebida e contra-ataca falsidades com fatos, colocando um ponto final a baixarias e desinformação antes que se tornem fatos aceitos.

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...