terça-feira, janeiro 01, 2013

Rádio Velha Pan AM


Sou, ou melhor, fui ouvinte de longa data, mas hoje não consigo mais ouvir em especial o Jornal da Manhã.  Ultimamente dois apresentadores não se limitam a ler as notícias previamente escolhidas.  Eles as interpretam com diferentes entonações, geralmente em tom irônico ou até mesmo sarcástico, demonstrando reprovação ou desprezo aos poderes legislativo e executivo.  Como ouvinte, preferia que eles se detivessem aos fatos, já que não quero saber a opinião deles e da rádio.  Sei que seria demais pedir que a rádio não escolhesse as notícias, não manipulasse os fatos.  Mas ao menos deveria separar fatos e opiniões.   A opinião deveria ficar restrita ao editorial.  Creio que essa é a forma adequada ao bom jornalismo.
Não peço isenção, pluralidade, independência e apartidarismo.  Claro que isso não é possível com a equipe de comentaristas que têm à disposição o microfone da rádio.  Se prestarmos atenção a eles e especialmente o pessoal da Linha De Trás, veremos gente que despreza o Islão, gente ligada à ditadura militar, à Opus Dei, ao Instituto Millenium e ao PSDB.  Assim fica evidente a opção política, filosófica e religiosa da emissora.  Não vejo nenhum problema se a rádio se assumisse católica, conservadora e de direita.  Seria mais transparente.  É justo que a rádio busque e fale a seu público, a parcela da sociedade que pensa de forma semelhante.  Mas definitivamente não convém misturar fato e opinião.  A consequência desse erro é perder audiência, o que não deve estar nos planos de onipresença nacional da empresa.

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...