domingo, junho 11, 2017

Quem julgou e condenou a Dilma? Somente os corruptos!

O senador Zezé Perrella (PMDB-MG), que afirma ser traficante, ilustra bem o nível da direita brasileira.  Ouça:



sábado, junho 03, 2017

Fatos e Fotos

Uma imagem vale mais do que mil palavras. Então, vamos descrever os últimos anos do Brasil com algumas imagens muito ilustrativas.

Helicoca dos Perrella perto do aeroporto do Mineirinho

Direita unida, depois vencida

Direita esperançosa, depois derrotada

Direita unida pelo golpe  
Manipulados pela mídia golpista
Rato do Ano, segundo revista QuantoÉ, e amigos
#ForaTemer
#DiretasJá

domingo, maio 28, 2017

The Handmaid's Tale: o que certos evangélicos querem para o Brasil



http://www.geektown.co.uk/tvairdates/the-handmaids-tale/
The Handmaid’s Tale (“O Conto da Serva”) é uma obra de ficção distópica escrita pela ativista ambiental canadense Margaret Atwood e publicada em 1985.  Em 1990 virou um filme chamado ‘A Decadência de uma Espécie’, dirigido pelo alemão Volker Schlöndorff (de ‘O Ano Passado em Marienbad’ e ‘O Tambor’).  E agora, em 2017, série de TV criada por Bruce Miller (produtor de ‘The 100’ e ‘ER’) e estrelada por Elisabeth Moss (de ‘Mad Men’ e 'Garota, Interrompida’) no papel da protagonista Offred.
Resumo da ópera (sim, virou ópera composta pelo dinamarquês Poul Ruder em 2000): em um futuro não muito distante é instaurada uma ditadura de extrema direita que elimina as minorias, a República de Gilead.  Esse regime autoritário e teocrático adota o Velho Testamento como Constituição.  Consequentemente sacrifícios, genocídio, poligamia, traição, machismo, homofobia, misoginia e todas as perversidades bíblicas estão presentes.  Vale a pena ver e refletir sobre os tempos atuais, em que os evangélicos apoiam esse governo golpista e elegem mercadores da fé para tornar o Brasil uma república teocrática.
http://www.laparola.com.br/rumo-a-ditadura-religiosa
   

sábado, abril 22, 2017

Vamos falar de Economia?

É comum encontrar pessoas, até com algum grau de educação formal, espalhando desinformação e contrainformação pelas redes sociais ao citar dados da propaganda enganosa do governo ilegítimo e da mídia sonegadora e golpista.  Tal como os ratos e as crianças de Hamelin, são os manipulados de hoje, que só abriam jornais para consultar as seções de horóscopo, entretenimento e esportes, mas hoje assinam folhetins semanais de fofocas.  São os mesmos analfabetos políticos que, tal como walking dead, marcharam nas avenidas atrás do pato plagiado da FIESP e bateram panelas nas sacadas de seus apartamentos, alguns em Miami.  Que indigência intelectual!
Há quem rejeite o dualismo alegando que há muitos tons de cinza, muitos níveis de saturação ou muitas cores mesmo.  Faz sentido, a Internet e as redes sociais têm de tudo, mas basicamente há dois lados: o bom e o mau. A consequência é que agora todo mundo está exposto e pode ter seus minutos de fama, mas é necessário saber usufruir da liberdade de expressão. Não é incomum ver pessoas agindo como lobos ao promover o ódio nas redes sociais mais populares, mas como cordeiros nas redes mais "profissionais", como o Linkedin por exemplo. Alguns até criticam conteúdo inadequado ou desvio de finalidade no Linkedin, enquanto toleram memes e menções a Filosofia e Religião, exceto Política.  Economia pode, porque é chique, está na moda, parece "corporativo".  Mas como separar Política de Economia?  De Educação? De Saúde? Política é sociedade, comunidade, coletividade.  Infelizmente, no mundo moderno, a democracia deixou de ser o governo do povo para ser o governo das corporações, das empresas, do capital.  Assim é o mundo globalizado, sem fronteiras, onde impera apenas o interesse corporativo.  Empresas de mídia escolhem o que, como, quando, onde, a quem e por que informar, empregando propaganda e formadores de opinião.  Então, voltamos ao início.
Vamos falar de Economia, com dados concretos?
Para entender, explicar e até justificar o golpe vigente, iniciado em 2013, há quem acredite que Dilma errou em seu governo.  Será? Observe, no primeiro gráfico a seguir, o que houve com alguns países entre 2012 e 2014.  A Economia encolheu só aqui? E quando houve melhores dias do que entre 2002 e 2011?    



O boycott promovido pelos perdedores das eleições de 2014 trouxe muitos desempregos ao país. Mas observe como o desemprego se comportou entre 2003 e 2012.  Será que chegaremos ao nível da Europa? Veja abaixo.



A direita e os manipulados sempre criticam os governos trabalhistas porque estes, em sua versão, não investiriam em Educação.  Mas vamos verificar se é verdade?  Compare, no gráfico a seguir, como o Brasil e alguns países ricos gastam com Educação.



Alguém poderá discordar, alegando diversas percepções, mas, como na Ciência, não dá para argumentar com paixões, achismos e manipulação, sem apresentar dados objetivos e concretos.  Qualquer um pode criticar um governo popular e de trabalhadores, principalmente se for oriundo de ou pertencer às classes mais abastadas, mas deve e precisa apresentar referências válidas. 

sábado, março 25, 2017

A semana que não acabou




Esta semana foi intensa.  Assunto para a gente prosear não faltou.

Primeiro foi o papelão dos meganhas da PF que caiu como uma luva para a Austrália retomar de nós o primeiro lugar como exportador mundial de carnes.  Até a revistinha semanal de fofocas dos Civita, porta-voz da direita, através do Tio-Rei, protestou:
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/show-midiatico-da-carne-fraca-deveria-envergonhar-a-pf-e-o-pais/

Depois veio a dura crítica do Gilmar Mendes, ministro do STF e do TSE, à 'entrevista coletiva em off' que os procuradores da PGR vazaram 'criminosamente' informações sob sigilo para a mídia golpista (Globo, Folha, Estado).  Aí Rodrigo Janot rebateu dizendo que Gilmar tem disenteria verbal e decrepitude moral e que (ele, Janot) se distancia dos banquetes palacianos (fazendo referência à intimidade de Gilmar com a camarilha do PSDB e do PMDB).  Até o UOL/Folha, criticou:
http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2017/03/22/janot-e-gilmar-brigam-tire-as-criancas-da-sala/

Em seguida veio a quebra de sigilo telefônico e condução coercitiva (neste caso, eufemismo para sequestro) do blogueiro Eduardo Guimarães determinada por um juiz de primeira instância de Curitiba.  Ai vale a pena ver sob o ponto de vista da mídia estrangeira:
http://www.bbc.com/portuguese/brasil-39309746. Todo mundo sabe que o objetivo da República de Curitiba é prender Lula ou, pelo menos, inviabilizar sua candidatura em 2018.

Para completar, o Congresso, talvez o mais conservador de toda a história do país, aprovou a terceirização irrestrita que é um golpe de misericórdia à CLT.  Para o analfabeto político, que costuma dizer que partido é tudo igual, votações como essa, de interesse do trabalhador, ilustram bem qual é o lado de cada partido.  Olhando o placar da votação, veja quais são os principais partidos que votaram contra a precarização dos direitos do trabalhador: PT, PC do B, PSOL e PDT, não só nesta votação como na votação anterior (abril de 2015).  Novamente, cito a mídia estrangeira:
http://brasil.elpais.com/brasil/2017/03/21/politica/1490127891_298981.html
Houve também outra confusão dentro do ninho tucano.  O Farol de Alexandria e Doria, o prefeito dos coxinhas, andaram discutindo por causa da possibilidade da candidatura de Doria já que os preferidos de FHC estão enrolados em escândalos.  Saiba mais pelo 247: http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/286823/Doria-desafia-FHC-e-tenta-se-impor-como-presidenci%C3%A1vel-tucano.htm

E para fechar a semana com chave de ouro, ouvi na CBN, a rádio que 'troca' a notícia: Governo de SP não quer enviar Marcola e cúpula do PCC para presídios federais -
http://cbn.globoradio.globo.com/sao-paulo/2017/03/24/GOVERNO-DE-SAO-PAULO-SE-MOSTRA-CONTRA-A-IDA-DE-MARCOLA-PARA-PRESIDIO-FEDERAL.htm.  Alguém poderia concluir: o estado não pode ficar sem governo!

Bom fim de semana.

domingo, fevereiro 12, 2017

Dias de Cinema



Sendo o lazer tão importante para a qualidade de vida do trabalhador, resolvi ir duas vezes ao cinema nesta semana de tempos excepcionais (eufemismo para o golpe em curso).  Assisti a filmes tão bons que gostaria de compartilhar:
  • Até o Último Homem (Hacksaw Ridge), do Mel Gibson, que por sorte só dirige, com Andrew Garfield no papel de um soldado que serviu como médico na 2a Guerra Mundial e que nunca pegou numa arma por ser "objetor de consciência", adventista do sétimo dia.  Drama que trata de caráter e valores, algo raro nestes dias excepcionais.


  • Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures), do Theodore Melfi, com Taraji Henson no papel de uma brilhante matemática negra que participou do projeto espacial norte-americano, que sempre esteve atrasado em relação ao programa soviético (até a farsa do pouso lunar).  Drama que trata da segregação racial, oficializada até o final dos anos 60 nos Estados Unidos.

São dois filmes que, embora hollywoodianos, são obras válidas para reflexão em qualquer lugar do mundo.  Diferem daqueles filmes típicos de propaganda ideológica e colonialismo cultural.  Não têm carros velozes batendo e pegando fogo, não têm heróis infantilóides, daqueles que usam capa e cueca por fora da calça, salvadores do mundo "livre".  Não têm nada a ver com aquelas aberrações da Marvel e da DC Comics que tanto agradam aos regredidos e oligofrênicos.  Por isso, recomendo ambos, exceto para leitores da Veja e telespectadores do Globo News.

P.S.: O alento da semana foi que algumas pessoas devolveram o que saquearam lá no Espírito Santo, inclusive essa pessoa de bens citada pelo mestre Hariovaldo:
Filiada do PSDB devolveu produto de saque